Vagando em versos

domingo, 25 de junho de 2017

Telegrama


Um comentário:

Anônimo disse...

Você se cansa de amores incompletos, de amores platônicos (O amor platônico é um castigo que a mente deve sofrer pela inocência do coração), de falta de amor, de excesso disso e daquilo. Se cansa do "Apesar de". Se cansa do rabo entre as pernas, da sensação de estar sendo prejudicado, se cansa do "A vida é assim mesmo". Você se cansa de esperar, de rezar, de aguardar, de ter esperanças, cansa do frio na barriga, cansa da falta de sono.
Você se cansa da hipocrisia, da falsidade, da ameaça constante, se cansa da estupidez, da apatia, da angústia, da insatisfação, da injustiça, do frenesi, da busca impossível e infinita de algo que não sabe o que é. Se cansa da sensação de não poder parar. E parafraseando Augusto Branco: " Um amor tem que ter um que de impossível, uma dificuldade que angustia, uma saudade que mata, um não sei o que que maltrata, tem que fazer doer o coração, perder o ar e a razão. Amor, pra ser amor de verdade, tem que ter sofrimento e sacrifício, amor, para ser amor de verdade,tem que ter redenção... Então vamos dar as mãos e caminhar pelas areias da paixão, onde reside o pequenino grão de areia que namorava a estrela do Céu, como lindamente cantou a Bethânia...!
E confesso que: Lhe admiro de longe, porque de perto é proibido.