Vagando em versos

terça-feira, 25 de maio de 2010

O riso


Gosto do riso de tudo.
De flores.
De gente.
De bichos.
Dos dias de céu azul lisinho...
Às vezes, eu vejo até o riso contido do que não tem coragem de rir.


Ana Jácomo

Conceitos

SAUDADE:

é quando a gente sente uma pessoa dentro da gente; aí lembra que gosta dessa pessoa e fica querendo dizer isso a ela, mas às vezes ela está longe e a gente só pode dizer em pensamento, mas a gente diz, e ela escuta mesmo assim.

"Deixe que seus pensamentos levem você até quem você ama."





sábado, 22 de maio de 2010

Acontece...


Caio F. Abreu

Sossega, Coração!

Sossega, coração! Não desesperes!
Talvez um dia, para além dos dias,
Encontres o que queres porque o queres.
Então, livre de falsas nostalgias,
Atingirás a perfeição de seres.

Mas pobre sonho o que só quer não tê-lo!
Pobre esperança a de existir somente!
Como quem passa a mão pelo cabelo
E em si mesmo se sente diferente,
Como faz mal ao sonho o concebê-lo!

Sossega, coração, contudo! Dorme!
O sossego não quer razão nem causa.
Quer só a noite plácida e enorme,
A grande, universal, solente pausa
Antes que tudo em tudo se transforme.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

A Coisa

 
A gente pensa uma coisa, 
acaba escrevendo outra 
e o leitor entende uma terceira coisa...
e, enquanto se passa tudo isso, 
a coisa propriamente dita 
começa a desconfiar 
que não foi propriamente dita.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Nem sempre sou igual


Nem sempre sou igual no que digo e escrevo.
Mudo, mas não mudo muito.
A cor das flores não é a mesma ao sol
De que quando uma nuvem passa
Ou quando entra a noite
E as flores são cor da sombra.

Mas quem olha bem vê que são as mesmas flores.
Por isso quando pareço não concordar comigo,

Reparem bem para mim:
Se estava virado para a direita,
Voltei-me agora para a esquerda,
Mas sou sempre eu, assente sobre os mesmos pés -
O mesmo sempre, graças ao céu e à terra
E aos meus olhos e ouvidos atentos
E à minha clara simplicidade de alma …

Alberto Caeiro

Poesia


















Imagem: Imotion

terça-feira, 18 de maio de 2010

Das Pedras


Ajuntei todas as pedras
que vieram sobre mim.
Levantei uma escada muito alta
e no alto subi.
Teci um tapete floreado
e no sonho me perdi.
Uma estrada,
um leito,
uma casa,
um companheiro.
Tudo de pedra.
Entre pedras
cresceu a minha poesia.
Minha vida...
Quebrando pedras
e plantando flores.
Entre pedras que me esmagavam
Levantei a pedra rude
dos meus versos.

Cora Coralina

domingo, 9 de maio de 2010

Dois

Dois...
Apenas dois.
Dois seres...
Dois objetos patéticos.
Cursos paralelos
Frente a frente...
...Sempre...
...A se olharem...
Pensar talvez:
“Paralelos que se encontram no infinito...”
No entanto sós por enquanto. 
                                    Eternamente dois apenas.


Pablo Neruda

sábado, 8 de maio de 2010

Dane-se



Vence 
quem passa por essa vida rindo
E se o preço que se paga por ser um pouco feliz 
é ser um pouco idiota, 
 dane-se!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Jogo do Amor



sorte no jogo
azar no amor
de que me serve
sorte no amor
se o amor é um jogo
e o jogo não é meu forte
meu amor

Paulo Leminski


Poema Triste


Eu escrevi um poema triste
E belo, apenas da sua tristeza.
Não vem de ti essa tristeza
Mas das mudanças do Tempo,
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza...
Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel...
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves...
E das cartas que me escreves
Faço barcos de papel!

quarta-feira, 5 de maio de 2010

O Meu mundo ficaria completo (com você)


Não é que eu esteja procurando no infinito
a sorte para andar comigo
Se a fé remove até montanhas
o desejo é que torna o irreal possível

Cássia Eller/Nando Reis

Saudade


Anônimo

Medida Provisória


A partir de agora
Desabilito toda e qualquer palavra.
Dou aos olhos o poder da conquista;
Ao silêncio o dever da perpetuação;
E ao gesto, a obrigação da paz.
Revoguem-se todas as leis em contrário
Pois o amor existe!

terça-feira, 4 de maio de 2010

Olhar



Quando você olhar 
nos olhos de outra pessoa, 
e de mais outra,
e vir a sua própria alma 
retribuindo o olhar, 
então você saberá 
que atingiu 
um outro nível 
de consciência.

Brian Weiss

Tu e Eu

Somos diferentes, tu e eu.
Tens forma e graça
e a sabedoria de só saber crescer
até dar pé.
E não sei onde quero chegar
e só sirvo para uma coisa
- que não sei qual é!
És de outra pipa
e eu de um cripto.
Tu, lipa
Eu, calipto.
 
Gostas de um som tempestade
roque lenha
muito heavy
Prefiro o barroco italiano
e dos alemães
o mais leve.
És vidrada no Lobão
eu sou mais albônico.
Tu ,fão.
Eu, fônico.
 
És suculenta
e selvagem
como uma fruta do trópico
Eu já sequei
e me resignei
como um socialista utópico.
Tu não tens nada de mim
eu não tenho nada teu.
Tu, piniquim.
Eu, ropeu.
 
Gostas daquelas festas
que começam mal e terminam pior.
Gosto de graves rituais
em que sou pertinente
e, ao mesmo tempo, o prior.
Tu és um corpo e eu um vulto,
és uma miss, eu um místico.
Tu, multo.
Eu, carístico.
 
És colorida,
um pouco aérea,
e só pensas em ti.
Sou meio cinzento,
algo rasteiro,
e só penso em Pi.
Somos cada um de um pano
uma sã e o outro insano.
Tu, cano.
Eu, clidiano.
 
Dizes na cara
o que te vem a cabeça
com coragem e ânimo.
Hesito entre duas palavras,
escolho uma terceira
e no fim digo o sinônimo.
Tu não temes o engano
enquanto eu cismo.
Tu, tano.
Eu, femismo.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Oportunidades


Aprendi 
que as oportunidades 
nunca são perdidas; 
alguém 
vai aproveitar 
as que você perdeu.

William Shakespeare