Vagando em versos

sábado, 1 de dezembro de 2012

O Fio da navalha

Mesmo que ao meio-dia 
a rosa perca a beleza que teve na madrugada
sua beleza naquele momento foi real. 
Nada no mundo é permanente
e somos tolos em desejar que uma coisa perdure
mas 
mais tolos ainda
seríamos se não a apreciássemos enquanto a temos. 
Se a mutabilidade é da essência
da existência
nada mais natural do que fazer dela
a premissa da nossa filosofia.

Nenhum comentário:

LinkWithin


Related Posts with Thumbnails