Vagando em versos

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Me You


O que você lê na imagem?
Provavelmente você leu ME em castanho, mas... quando olhar através do ME poderá ver o YOU
Imagem tirada daqui.

sábado, 11 de setembro de 2010

É você

Composição: Marisa Monte / Arnaldo Antunes / Carlinhos Brown

O Momento


Eu disse: a lua está tão bonita que dói por dentro.
 Ele não entendeu.
É tudo tão bonito que me dói e me pesa.
Fico pensando que nunca mais vai se repetir,
é só uma vez, a única, e vai me magoar sempre.
 Não sei, não quero pensar.
Neste espaço branco de madrugada e lua cheia,
 preciso falar, e mais do que falar, preciso dizer.
Mas as palavras não dizem tudo, não dizem nada.
O momento me esmaga por dentro.

domingo, 22 de agosto de 2010

Fosse


Fosse íntimo das águas, ou dos mares,
teria, quem sabe, parâmetros para compreender 
esse quieto deslizar, peixe, ave. 
Criatura da terra, seu temor era, quem sabe, 
perder o apoio dos pés.

sábado, 21 de agosto de 2010

Quero

 
[...]
Quero que me repitas até a exaustão
    que me amas, que me amas, que me amas.
    Do contrário evapora-se a amação
    pois ao não dizer: Eu te amo,
    desmentes
    apagas
    teu amor por mim.
[...]

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

A dor


A dor é uma mestra cruel.
Ela cega, revolta, magoa, fere no mais íntimo de teu espírito,
mas se conseguires vencer a escuridão da dor,
resplandecerá em ti a luz de uma pessoa vitoriosa,
dona de uma felicidade calma e ao mesmo tempo contagiante,
típica das pessoas que já conhecem bem este mundo.

sábado, 7 de agosto de 2010

O Valor da amizade

Dever de Sonhar


Eu tenho uma espécie de dever, dever de sonhar, de sonhar sempre,
pois sendo mais do que um espetáculo de mim mesmo,
eu tenho que ter o melhor espetáculo que posso.
E, assim, me construo a ouro e sedas, em salas
supostas, invento palco, cenário para viver o meu sonho
entre luzes brandas e músicas invisíveis.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Pensamento

A Laranja

 
A gente sempre ouve aquela história que cada um de nós 
é a metade de uma laranja...
Eu não conheço ninguém que sonhe em ser uma laranja.
O senhor já perguntou pra alguém 'qual seu maior sonho?'
e ela respondeu 'ser uma laranja inteira' ?

sábado, 31 de julho de 2010

Eterno

Sentimentos


... não tenho medo de mostrar meus sentimentos e de fazer coisas imprudentes, pois acredito que o que não se mostra, não se sente. Coisa que talvez surpreenda muito a você, pois os seus sentimentos são tão guardados que parecem não existir realmente.


terça-feira, 13 de julho de 2010

Em que tempo estás?

A Procura da Poesia





Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
(...)
Chega mais perto e contempla as palavras.
Cada uma tem mil faces secretas sob a face neutra
e te pergunta, sem interesse pela resposta,
pobre ou terrível, que lhe deres:
"Trouxeste a chave?"

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Asas e azares

Voar com a asa ferida?
Abram alas quando eu falo.
Que mais que eu fiz na vida?
Fiz, pequeno, quando o tempo
estava todo ao meu lado
e o que se chama passado,
passatempo, pesadelo,
só me existia nos livros.
Fiz, depois, dono de mim,
quando tive que escolher
entre um abismo, o começo,
e essa história sem fim.
Asa ferida, asa ferida,
meu espaço, meu herói.
A asa arde. Voar, isso não dói.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

A Felicidade


A felicidade é reencontrarmos
em nós a capacidade para amar,
porque tudo o que fazemos
sem amor é tempo perdido,
é feito em má hora,
é uma infelicidade.

Enquanto tudo o que
fazemos com amor
é a eternidade reencontrada...

domingo, 27 de junho de 2010

Eu me pergunto

Intuição


Composição: Ulysses Guimarães
 
[...]
Canto o que não silencia
É onde principia a intuição
e nasce uma canção rimada
da voz arrancada
ao nosso coração
[...]

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Desejo


É preciso que nos vistamos de todas as cores
para camuflar nossos medos.

É preciso que abençoemos a pá
que sepultou nossas ilusões
e enterremos, saudosos, nossos momentos.

É preciso que nossas lágrimas fertilizem as covas
onde jazem nossos sonhos
e rezemos contritos num último adeus.

É preciso que nos ajoelhemos ao lado dos nossos fantasmas 
e rezemos com eles o Réqueim dos amores.

É preciso que peçamos concordata dos nossos sentimentos
e reconheçamos a falência das nossas esperanças.

domingo, 20 de junho de 2010

Certas Coisas

Os versos que te dou

Ouve estes versos que te dou, eu
os fiz hoje que sinto o coração contente
enquanto teu amor for meu somente,
eu farei versos...e serei feliz...

E hei de faze-los pela vida afora,
versos de sonho e de amor, e hei  depois
relembrar o passado de nós dois...
esse passado que começa agora...

Estes versos repletos de ternura são
versos meus, mas que são teus, também...
Sozinha, hás de escuta-los sem ninguém que
possa perturbar vossa ventura...

Quando o tempo branquear os teus cabelos
hás de um dia mais tarde, revive-los nas
lembranças que a vida não desfez...

E ao lê-los...com saudade em tua dor...
hás de rever, chorando, o nosso amor,
hás de lembrar, também, de quem os fez...

Se nesse tempo eu já tiver partido e
outros versos quiseres, teu pedido deixa
ao lado da cruz para onde eu vou...

Quando lá novamente, então tu fores,
pode colher do chão todas as flores, pois
são os versos de amor que ainda te dou.

LinkWithin


Related Posts with Thumbnails